Sete dicas para a instalação de prateleiras de vidro

Sete dicas para a instalação de prateleiras de vidro
11 jan 2019

Saiba como dimensionar o suporte correto, como orçar o vidro para obter economia e como entender o que o cliente deseja.

A simples montagem de uma prateleira de vidro pode mudar a imagem de uma vidraçaria na mente dos clientes – para melhor ou para pior, dependendo do serviço realizado. Dominar técnicas para se fazer um trabalho bem feito é importante, assim como conhecer os vários modelos de suportes direcionados para esse material.

Dica 1- Faça a pergunta certa ao cliente

Para acertar na escolha no produto para o cliente é preciso, primeiramente, analisar a sua utilização. Se irá ter uma utilidade apenas funcional ou se será uma peça decorativa. A pergunta seguinte a se fazer é o que tal cliente pretende colocar sobre a prateleira. Assim é possível avaliar-se o peso que tal prateleira deverá suportar e a distância que tal peça deverá distar da parede, determinando-se a espessura e a largura dos vidros. E se o objeto a ser exposto é decorativo, raro ou delicado, é fácil supor que o cliente deseja um acabamento mais requintado.
Da mesma forma, se o que será exposto é apenas de uso prático, é possível prever que o cliente poderá não estar disposto a investir em um suporte mais sofisticado.

Dica 2- Peça dois orçamentos de vidros a um temperador/distribuidor

O vidro de prateleiras precisa ser lapidado para evitar cortes. Devido a isso, curiosamente, o valor do vidro lapidado sem têmpera na maioria das vezes é o mesmo de um vidro temperado. Isso porque fornecedores costumam associar vidros lapidados a um material sofisticado de decoração, enquanto o temperado precisa naturalmente ser lapidado para que possa ir ao forno e já se tornou um produto popular. Uma dica é pedir dois orçamentos separados para o fornecedor.

Dica 3 – Dimensione bem o peso nas instalações básicas

A solução mais simples para a instalação de prateleiras de vidros é a fixação com suportes de fenda, que podem ser encontrados com preços não muito superiores a R$ 1,00. Existem diversos modelos, sendo alguns quadrados e outros arredondados, mas o princípio de sustentação é o mesmo. Trata-se de um pino com uma fenda. O vidro é introduzido dentro e fica preso ali após o aperto. Existem suportes fenda para as espessuras de 4, 6, 8, 10 e 12 mm. A Glass Parts oferece também o produto desenvolvido por sua parceira GDS, denominado Suporte Flex, que se ajusta de acordo com a espessura escolhida.

Em móveis, ou quando o vidro é instalado em recuos na parede, ou ainda entre colunas, a resistência é acentuada porque nenhuma peça fica em balanço. São utilizadas, nesse caso, quatro peças – sendo duas atrás e duas na frente.

Os suportes tipo fenda normalmente são utilizados em par e cada par pode suportar pesos que vão de 1 a 60 quilos. Normalmente o que se deve observar é a largura e a profundidade do vidro. Na largura é possível corrigir a carga utilizando mais suportes, já na profundidade isso não dá para ser feito. Um suporte de fenda para vidro de 4 mm, por exemplo, suporta prateleira com o máximo de 15 x 5 mm e deve suportar somente 1 ou 2 quilos.

Dica 4 – Mão-Francesa nas instalações intermediárias

Em prateleiras maiores são utilizadas a mão-francesa, peça em formato triangular que originalmente é utilizada em prateleiras de madeira. Existem diversos tipos, com alguns modelos com formatos levemente arredondados, em diversos tamanhos e feitos de vários materiais, até mesmo de aço.

O fato comum nas mãos-francesas é que elas oferecem uma plataforma para sustentar o vidro, mas geralmente não prendem o vidro pela borda. A peça fica simplesmente apoiada em gotas de silicone

Dica 5 – Suportes tipo Tucano, Grego e Pelicano nas instalações que exigem maior eficiência

Utilizados para prateleiras maiores, com pesos que variam de 15 a 60 quilos, podem ser utilizados para vidros com espessuras de até 20 mm. O nome de aves remete ao formato das peças, que se assemelham a seus bicos. A peça possui uma regulagem que prende a borda do vidro posicionada na parede e sua haste permite o apoio do vidro, deixando as bordas externas livres.

Para a fixação dessas peças é importante considerar a dimensão do parafuso com a bucha que servirá para fixação, para que a prateleira de vidro não venha ao chão devido ao errado dimensionamento destes itens, aliado com o excesso de peso. A qualidade da parede também deve ser analisada.

Dica 6- Prateleiras coladas com cola UV

É possível criar-se prateleiras em vidro, coladas a espelhos ou peças mais espessas de vidro com cola com cura por ultravioleta (UV). Trata-se de opção viável que proporciona aspecto mais leve. Tem-se a sensação de que elas estão somente apoiadas no vidro ou no espelho.

No caso de colagem em espelhos, que geralmente possuem espessura de 4 a 6 milímetros, deve-se usar, preferencialmente, vidros com lapidação reta de 8 mm pois, desta maneira, tem-se maior área de colagem, o que a torna mais resistente. Se como vidro vertical apoiado ou pendurado na parede for utilizado um vidro espesso, também será possível a colagem de vidros espessos nas prateleiras, o que aumenta a beleza e a resistência da peça.

As prateleiras coladas em outro vidro ou em espelhos têm custo de produção muito baixo, pois será utilizada pouca cola na montagem. O maior custo será na compra inicial da vidraçaria para começar a oferecer o serviço. Será necessária a compra da cola UV, lâmpada UV 40 W, dos óculos de proteção UV e do produto especial de limpeza. Existem também ventosas especiais que facilitam a colagem em ângulo.

Dica 7 – Alinhamento

Nada depõe mais contra a vidraçaria do que uma fixação feita sem nivelamento. Portanto, é essencial a utilização de níveis de bolha, níveis de água ou até mesmo de nível e trena laser.

Share

Glassparts